5/5 Favorito

RESENHA: Cidades de Papel - John Green

13:47 Matheus Abreu

Título Nacional: Cidades de Papel
Título Original: Paper Towns
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Páginas: 368

Avaliação: 
Sinopse:
Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma.Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte.Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia.

Olá, pessoas. Novamente andei meio sumido, mas enfim. Nada melhor que resenhar sobre um livro que você gostou muito e quando ele é do seu escritor favorito melhor ainda. A muito tempo, muito mesmo eu estava com vontade de ler Cidades de Papel e toda a expectativa não me decepcionou.

Cidades de Papel vai contar a história de Quentin Jacobsen e Margo Roth Spiegelman. Eles são vizinhos e eram melhores amigos desde que eram criança, até que um dia, andando de bicicleta eles encontram um homem morto em um parque. Depois desse evento, eles se afastam por algum motivo. Margo se torna a menina mais popular da escola enquanto Quentin, o nerd ofuscado. Um dia qualquer, Margo aparece no quarto de Quentin vestida de ninja e com a cara pintada de preta dizendo que eles precisam fazer uma coisa aquela noite. Quentin obviamente topa fazer isso e depois que tudo acontece, ele acredita que vai voltar a ficar próximo de Margo, o que não acontece. No outro dia, Margo simplesmente desaparece e aí começa a história. Quentin passa a descobrir pistas que Margo deixou para ser encontrada e nisso, ele embarca numa road trip com seus amigos para a cidade de papel.
 Que coisa mais traiçoeira é acreditar que uma pessoa é mais do que uma pessoa.
Obviamente, a narrativa do livro te prende de um jeito que só o John consegue fazer. Você se apega aos personagens muito rápido e até aqueles que você não gosta muito acabam tendo seu momento. Assim como A Culpa das Estrelas e Looking For Alaska, os livros tem um lado um tanto quanto poético.

O livro também todo um quê de mistério e em vários momentos eu me peguei criando teorias sobre o que poderia ter acontecido ou onde estaria Margo, e isso é incrível vindo do John.
A cidade era de papel, mas as memórias não.
Eu me apaixonei pelo livro, mas ainda não vence ACEDE no meu ponto de vista. Achei o livro tão lindo e tão puro, e ele mostra o amor de um jeito que só o Green consegue mesmo; um jeito irreal de mostrar o amor como ele realmente é. Como explicar isso? Humm, o amor é algo que te transporta pra outra realidade e tudo que ele te proporciona parece fugir as barreiras da realidade, e o John consegue expressar isso com perfeição.

No fim do livro, eu achei que iria deixar um pouco a desejar, mas foi um final justo. Claro que eu chorei, como não chorar lendo John Green?

Leia ouvindo:

You Might Also Like

8 comentários

  1. Tava com saudade daqui. Entrei aqui várias vezes essa semana procurando novidades. hahaha :D

    AI MEU DEEEEEEUS!
    É de chorar? OMG! Deve ser realmente muito lindo. *-*
    Saudade de ler John Green. ♥

    Bjs!
    http://prateleiracolorida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Sem dúvidas, na minha opinião, esse livro ultrapassou ACEDE. O livro é maravilhoso *O* sem contar que John Green escreve de tudo e mais um pouco, não é daqueles autores que tem uma fórmula pronta. A cada livro novo, uma história nova.
    Adorei a resenha ^^
    Beijos,
    loucamenteleitores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Sou louca para ler! Adoro o Green e com certeza vou comprar esse livro... O problema é que a fila está enorme, rs.

    Abraços, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
  4. Oie

    AH o John manda muito bem né? Ele sempre nos surpreende com seus livros, também acho muito bonita a forma dele falar sobre o amor. Bom saber que o livro é bom, estou louca para lê-lo, mas sabe coom é, não quero criar muitas expectativas dps de AMAR a culpa é das estrelas :)

    Beijos

    Pah, Livros & Fuxicos

    ResponderExcluir
  5. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderExcluir
  6. Ai Matheus, fico feliz em saber que o livro é bom do ínicio ao fim, já que comecei a leitura dele ontem! rs
    Acho que nenhum livro superará ACEDE, só acho! rs

    Beijão, Meire.
    http://manialiteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Não saibia muito o que esperar desse livro pensava que seria algo tipo O teorema de Katherine que não gostei muito. Com certeza entrou definidade na lista de compra. :)

    Abs,
    http://muchachoonline.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá Matheus!
    Estou doida para ler esse livro, só li A culpa é das estrelas, tenho muita vontade de ler os outros livros do Green! Adoro livros com mistérios, me deixa muito curiosa! Adorei saber que vale pena ler o livro! ótima resenha!!

    Beijos,
    lovesbooksandcupcakes.blogspot.com

    ResponderExcluir

Formulário de contato